Postagem em destaque

Policia Civil de Itajubá leva ovos de páscoa para crianças carentes

 Os Policiais da Delegacia Regional de Itajubá, através da Inspetoria de Investigadores, promoveu na data hoje uma ação solidária, on...

domingo, 29 de maio de 2016

Delegado que contrariou a imprensa e não prendeu sem provas é afastado do caso do estupro coletivo de jovem no Rio

Alessandro Thiers

Advogada que defende a vítima comemorou o afastamento de Alessandro Thiers; mesmo com vídeo, o delegado, que não pediu a prisão dos suspeitos, disse que o crime precisa ser comprovado


VITÓRIA DAS MULHERES!!!!
O Delegado Alessandro Thiers da DRCI não é mais o encarregado pela investigação do estupro coletivo!
A medida foi determinada pela juíza do plantão noturno do Tribunal de Justiça, a qual determinou o desmembramento do inquérito para que as investigações sejam, daqui por diante, conduzidas pela Delegacia da Criança Vítima - DCAV.





AGÊNCIA BRASIL

A advogada Eloisa Samy Santiago, que defende a menor de 16 anos 
que sofreu estupro coletivo há uma semana no Rio, comemorou nas 
redes sociais o afastamento do delegado Alessandro Thiers, titular da 
Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) ,do caso.




Em post no Facebook, sob o título "Vitória das Mulheres". a advogada
 informou que a medida foi tomada pela juíza do plantão noturno do 
Tribunal de Justiça, a qual determinou o desmembramento do inquérito para que as investigações sejam, daqui por diante, conduzidas pela Delegacia da Criança Vítima - DCAV.




Antes da decisão, Samy já tinha pedido o afastamento do delegado, 
que liberou os suspeitos após depoimentos. "A polícia só vai pedir 
algum tipo de prisão se for comprovada a existência do crime e se
 houver necessidade", afirmou o delegado Thiers à "Folha de S. Paulo". 
Em entrevista ao "El País", a advogada rechaçou os comentários de 
Thiers e a condução do caso. "A palavra da vítima da basta em caso 
de estupro de uma mulher. Se tivesse sido um furto de celular, de um
 relógio, isso não aconteceria. O que precisava além do vídeo que 
mostrando a moça desacordada, nua, para que a palavra da vítima
 fosse reconhecida e legitimada? As imagens são cristalinas", disse Samy.



O estupro coletivo ocorreu há cerca de uma semana, no morro São José
 Operário, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, na zona oeste 
da cidade. Um vídeo mostrando o crime foi divulgado na última quarta-feira 
(25), na internet, por um dos 33 homens que participaram da violência. 
Eloisa Samy Santiago defende a menor junto com a advogada Caroline Bispo.

Com a decisão, e consequente desmembramento do inquérito, foi tomado,
 segundo a advogada, pelo juiz do plantão judiciário, na madrugada de hoje
Assim, a DRCI ficará encarregada de investigar o vazamento das imagens
 do estupro nas redes sociais, enquanto que o caso envolvendo o estupro 
coletivo da menor vai para a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.