Postagem em destaque

Caos se instala no saneamento e na limpeza publica de Pompeu.

O blog compareceu nas imediações da Praça de Esportes de Pompeu onde o esgoto esta refluindo e correndo pelas imediações. Na Rua Inácio Co...

sábado, 12 de setembro de 2015

Estudante de 18 anos dá uma surra na professora por considerar que era "uma chata"

 PM, jovem alegou que foi provocada e que a professora é 'insuportável'.

Diretora afirma que aluna é problemática; ela poderá trocar de escola.

Anna Lúcia Silva e Ricardo WelbertDo G1 Centro-Oeste de Minas
Uma professora de 31 anos foi agredida por uma estudante durante a manhã desta quinta-feira (10) na Escola Estadual Henrique Galvão, no Bairro São José, em Divinópolis. Segundo a Polícia Militar (PM), a autora do crime é uma jovem de 18 anos, que teve um ataque de fúria quando a professora pediu que ela se retirasse da sala de aula por mau comportamento. A direção da escola informou que a aluna será transferida para outra unidade.

Ainda segundo a PM, a professora disse que dava aula para uma turma do 9º ano do ensino fundamental quando a jovem começou a perturbar a aula. "Ao receber uma advertência, a estudante começou a gritar e a dizer que não obedeceria à professora, que então pediu que a jovem saísse da sala. A aluna saiu, mas algum tempo depois voltou dizendo que continuaria naquele local e prejudicando o trabalho da professora", informou a PM.



Veja o video.
A professora recebeu tapas, empurrões, puxões de cabelo e foi derrubada no chão.
Polícia Militar
Com a continuidade do problema, a professora pediu novamente à aluna que saísse da sala.
No Boletim de Ocorrência consta que "neste instante ela passou a ameaçar a professora e a agredi-la após receber outras advertências". Diz também, que a professora recebeu tapas, empurrões, puxões de cabelo e foi derrubada no chão. Contudo, a docente não precisou ser levada ao hospital por causa dos ferimentos.
Por causa da briga, a PM foi chamada. "Com a chegada da nossa guarnição ao local, a aluna estava exaltada e fez ameaças de morte à professora, dizendo a todo o momento que quando saísse da delegacia iria matar a vítima", contou a PM.
Por causa da agressão e das ameaças, a jovem foi presa e levada para a delegacia da Policia Civil. Ainda conforme a PM, ela precisou ser algemada porque continuou exaltada.
A aluna tem dificuldade em seguir regras, já fez coisas parecidas em outras escolas e já responde na Justiça.
Neide Madeira, diretora escolar
Em depoimento, a estudante classificou a professora como "insuportável" e disse que não queria agredi-la, mas foi provocada a fazer isso. Depois de ser ouvida na delegacia, a jovem foi liberada.
De acordo com a diretora da escola, Neide Madeira, a professora agredida exerce a função há seis anos e atua na escola há cerca de um ano. Ela afirmou que foi a primeira vez que a profissional foi agredida por um estudante.
"Esta é uma escola tranquila, que nunca teve caso de briga nem entre alunos, quanto mais com o professor. A aluna que a agrediu está na escola há um ano, encaminhada por um juiz. Ela tem dificuldade em seguir regras, já fez coisas parecidas em outras escolas e já responde na Justiça", afirmou Neide Madeira.
Providências
A Secretaria de Estado de Educação (SEE) informou que a Superintendência Regional de Ensino (SRE), em Divinópolis, já acompanha a situação. "A direção da escola tomou todas as medidas cabíveis e informou sobre o incidente à SRE, que enviou uma equipe para apurar o caso e oferecer o suporte necessário. A inspetora da SRE se reuniu com a diretora da escola e a mãe da estudante para uma conversa sobre a situação da aluna. A mãe solicitou a transferência da filha e foi orientada, caso seja sua vontade, a procurar o Centro Estadual de Educação Continuada (Cesec) do município, para que a jovem, que já possui 18 anos, possa concluir o ensino fundamental. A inspetora também irá agendar para os próximos dias uma conversa com a professora agredida. De acordo com a direção da escola, ela está bem e deve retornar às atividades na próxima semana", acrescentou.

A SEE acrescentou que elabora um programa chamado "Convivência Democrática nas Escolas", que deverá reunir procedimentos para monitoramento e acompanhamento das pessoas envolvidas em atos de violência, vítima e agressor, e ainda traçar ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens e situações de violência física e psicológica.

2 comentários:

  1. MARIA ANGELICA DE MORAIS12 de setembro de 2015 22:40

    É MUITO INTERESSANTE. A PROFESSORA É QUE SE DÁ MAL PORQUE A AGRESSORA , APESAR DE JA TER 18 ANOS FOI LIBERADA E SERÁ MUDADA DE ESCOLA, OU SEJA, O PROBLEMA CONTINUA, SÓ VAI MUDAR DE LUGAR. DEVERIA RESPONDER PELO ATO E FICAR ATRÁS DAS GRADES.

    ResponderExcluir
  2. Hoje em dia, a profissão professor, está cada vez mais escassa,as pessoas não percebem o quão é importante..Os alunos estão cada dia mais indisciplinados, professores perdem a vontade de dar aula, infelizmente, e fora que são mal remunerados

    ResponderExcluir

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.