Postagem em destaque

Pai pede socorro para encontrar filho desaparecido desde setembro em Pompeu

O Sr. Antonio pediu ao blogue para divulgar o desaparecimento do seu filho Jhony que ocorreu em setembro de 2018. A moto usada pelo desa...

domingo, 13 de julho de 2014

Vale a pena ser policial?


Hoje fui bem cedo tomar o café da manhã em uma padaria. Quando já estava no fim do lanche, entrou no local um jovem policial militar e pediu um pastel e uma xícara de café com leite. Ele passou por mim, disse "bom dia" e sentou na mesa logo ao meu lado. Antes de ele chegar, eu estava perdido em pensamentos sobre minhas tarefas diárias. Mas depois que ele me cumprimentou, comecei a imaginar sobre a rotina desse rapaz. Eu sairia da padaria para meu confortável e seguro escritório, e o jovem policial iria para as ruas. Colocaria sua vida em risco para proteger os cidadãos, em troca de uma remuneração indigna para sua nobre função. Talvez aquele pastel fosse sua última refeição. Talvez tivesse esposa, filhos, uma mãe que rezasse por ele. Que situações perigosas enfrentaria hoje? Estaria vivo ao final do dia? 





Não sei. Enquanto fazia essas considerações, percebi porque fico tão chateado quando ouço certa ‘militância’ enxergando nos policiais apenas um “símbolo do Estado opressor”. Grande parte desses servidores é jovem, tem sonhos, ganha pouco e têm família para sustentar. Trabalham sempre sob risco e pressão. Um policial não deixa de ser policial quando tira a farda. Muitos morrem tentando evitar assaltos em horário de folga. E quantos ainda se deparam com marginais que já tinham prendido, mas graças ao nosso ultrapassado Código Penal estavam soltos novamente? Esses servidores também lutam contra o sistema. Não vejo passeatas ou protestos quando um deles morre em serviço. 

No máximo o rodapé de um jornal, ou 15 segundos de notícia na TV. Por esses e outros motivos é que valorizo e admiro essa profissão. Reduzam os vencimentos dos políticos, diminuam o assistencialismo e remunerem melhor esses heróis anônimos. É vergonhoso como são tratados pelo mesmo Estado a que juram lealdade até a morte. Terminei o café, e ao sair falei pro jovem policial: “até mais”. Ele acenou com a cabeça, já estava no fim do lanche e logo estaria na rua, dando a vida por nós. Tive vontade de dizer “boa sorte, que Deus te proteja”, mas fiquei sem jeito. Em meus pensamentos, porém, desejei sorte, luz e proteção para o rapaz. Ele precisará muito mais do que o Neymar, o ídolo e "herói" da rede Globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.