Postagem em destaque

Caminhão da Micapel explode após bater em guarita da Polícia Rodoviária Federal, em Neves

Um caminhão bitrem pegou fogo após colidir em uma guarita da Polícia Rodoviária Federal na manhã deste domingo no km 507 da BR-040, no ba...

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Violência em Minas Gerais:Norte de BH lidera crimes sexuais contra menores.

Abandonado pela mãe, M., de 14 anos, passa as noites em uma praça do Barreiro. A pequena F., de 5, foi abusada sexualmente pelo padrasto no bairro São Paulo. Mais velho de quatro irmãos, C., de 15, anda pelo Centro pedindo esmolas para alimentar a família.

Crimes contra crianças e adolescentes espalham dramas por toda Belo Horizonte. Baseado em estatísticas dos conselhos tutelares, de janeiro a julho deste ano, o Hoje em Dia traçou o mapa desse tipo de violência na capital e, até quarta-feira, vai mostrar a triste realidade de algumas vítimas.

Os dados apontam que as violações sexuais são mais comuns nas regiões Norte, Nordeste, Oeste, Pampulha e Venda Nova.

A Centro-Sul concentra casos de mendicância, trajetória de rua e trabalho infanto-juvenil. Na Leste, Noroeste e Barreiro predominam negligência e agressão.

Muitos dramas


Enquanto a mãe de F. trabalhava, a garotinha de 5 anos ficava em casa com o padrasto, de 30. “Uma vizinha me alertou que bastava eu sair para ele dar banho na menina. Estranhei, pois eu a deixava de banho tomado. Um dia meu ex-companheiro me confessou que sentia prazer ao tocar o corpo da minha filha, mas se eu o denunciasse ele mataria todo mundo”.

Com medo, a mãe da criança decidiu não procurar a polícia e confiar na promessa do abusador. “Ele saiu de casa e disse que nunca mais vai voltar, mas vivo assombrada”.

A angústia se repete em outros lares da região Nordeste, onde houve o maior número de casos de violência sexual intrafamiliar nos primeiros sete meses do ano: 28 dos 162 (17,2%). Nas ocorrências em que o algoz não vive sob o mesmo teto da vítima, a Norte aparece no topo do ranking, com 38 das 163 (23,3%).

Na Oeste, há mais casos de exploração sexual, em que o corpo do menor é ofertado em troca de dinheiro: três dos 12 registros (25%).

“Crimes contra a liberdade sexual causam agressão social e grande revolta entre as vítimas. E, em muitos casos, ocorridos no seio da família, o papel da figura materna de denunciar é deixado de lado para preservar o abusador”, afirma o especialista em medicina-legal André Roquette, diretor do Instituto Médico-Legal de BH.

Região da Pampulha concentra pontos de prostituição

Na divisa com a região Norte, Pampulha e Venda Nova também estão “contaminadas” pela violência sexual contra crianças e adolescentes.

A presença das vítimas em pontos de prostituição é confirmada pela polícia. “Tivemos um caso de uma adolescente encontrada em um motel da Pampulha usando carteira de identidade falsa, se passando por maior de 18 anos”, afirma a delegada Iara França, adjunta da Delegacia Especializada em Proteção da Criança e do Adolescente (Depca).

Segundo a delegada, “é comum a família apoiar a prostituição, por entender que se trata de uma forma de ganhar dinheiro fácil”.
 
Na rede

O único caso de pedofilia confirmado pela polícia, neste ano, na capital, foi registrado na Pampulha. A delegada ressalta que o crime é relacionado ao aliciamento e à pornografia na internet.

Venda Nova foi palco da única ocorrência de tráfico para fins de exploração sexual. “É quando a vítima é trazida para a cidade para se prostituir”, explica Iara.


O atendimento psicossocial de menores que sofreram violência sexual é feito em uma “sala lúdica” criada no IML em setembro de 2012.
Fonte: Hoje em Dia 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.