Postagem em destaque

Atenção pompeano, você está sendo filmado

Olho Vivo: 20 câmeras instaladas em Pompéu Até dezembro, serão 23 câmeras de vídeo monitoramento em tempo real. Em reunião do Gabinete...

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

BH é cidade com mais queixas em site sobre criminalidade.


A população brasileira tem agora uma ferramenta online para registrar e compartilhar informações sobre crimes e saber quais são os bairros mais violentos de qualquer cidade do país. Criado há pouco mais de um mês, o site colaborativo Onde Fui Roubado já teve mais de 150 mil visualizações e permite ao usuário registrar casos de furto, assalto, sequestro-relâmpago, saidinha de banco e arrombamentos. Na tarde de ontem, Belo Horizonte aparecia como a cidade brasileira com o maior número de denúncias.
Até as 17h, os moradores da capital haviam registrado 334 crimes. A região Centro-Sul concentrava o maior número de casos, com 121 ocorrências – a maioria de assalto. Em seguida apareciam as regiões Nordeste, com 62, Pampulha, com 53, e Oeste, com 22.
O painel de estatísticas do site revela que a maioria das queixas da capital mineira é feita por homens (59%). O assalto à mão armada e o furto são os crimes mais relatados, correspondendo a 36% dos registros cada. Os arrombamentos representam 11%. Já o alvo dos bandidos são, principalmente, o celular, que aparece em 70% dos casos, seguido pelas carteira, 38%.
Outro dado revelado pela ferramenta é como os registros oficiais podem ser subnotificados: em 40% dos casos as vítimas não registraram boletim de ocorrência.

Origem. A rede social foi criada em 29 de junho, pelos estudantes do curso de ciência da computação da Universidade Federal da Bahia (UFB) Márcio Vicente Filho, 22, e Filipe Norton Barbosa Santos, 22, que é mineiro de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. “Sempre quis criar um serviço virtual de interesse público e vi que na área de segurança pública não havia nada desse tipo”, explica Santos.
Até a tarde de ontem, Belo Horizonte era seguida por Salvador (BA), com 242 crimes registrados, Curitiba (PR), com 231, Florianópolis (SC), com 133, e São Paulo (SP), com 123. O Rio de Janeiro (RJ) teve 31 denúncias e Vitória (ES), 18.
Registro
* Alerta. A denúncia virtual não substitui o boletim de ocorrências policial. É preciso ir à delegacia fazer a queixa pessoalmente para que o caso seja investigado.
* Atraso. Em Minas, o boletim não é feito de maneira virtual, como já acontece em São Paulo.
Só é possível imprimir o documento pelo site www.sids.mg.gov.br.
* Falso. Os criadores do site fazem monitoramento para evitar denúncias falsas. Eles estimam que 90% das queixas sejam verdadeiras.


Fonte: O Tempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.